domingo, 13 de setembro de 2009

Mais um poema...


FOTOGRAFIA

Um feixe de luz e uns compostos de prata
Eternizam a sua imagem em uma fotografia
Tirada com uma câmera de lata
Em um tempo em que você ainda ria

Uma fotografia em um porta-retratos
Que jamais sai do lugar
Eu contemplo com horário marcado
E me ponho a chorar

Eu que sempre fiz chacota
De quem tem o ritual
De rezar virado para Meca
Com devoção total

Olho e choro no ato
Cinco vezes ao dia
Voltado para o seu retrato
Quem diria

2 comentários: